Há pouco tempo cometi a falta mais temida em um relacionamento amoroso: a traição.
Traímos por que queremos? Por que nos envolvemos com tanta afinidade com amigo(a)s? Para alguns, nada demais. Para outros, bate aquela culpa e a pergunta “por que eu fiz isso? Eu poderia ter evitado!”.
Isso ocorre mais conosco, homens, mas algumas mulhers também cometem este erro. Sempre tive problemas com impulsos sexuais – sonhava com sexo constantemente. Minhas amizades são na maioria mulheres: até aí tudo bem.

Tinha uma amiga, casada, problemas conjugais, e bam… rolou! Na hora, só pensava no prazer… como fui egoísta! Depois do orgasmo, veio a culpa. Foi a única e última vez. Não conseguia mais conviver com o peso na consciência! Como pude ter sido tão mesquinho? Estraguei a chance que ela me deu! Começamos a nossa história de amor de modo incomum; ela era a outra. Ela me aceitou após uma escolha que tive que fazer.

Passou um tempo para eu tomar coragem pra revelar o terrível segredo. Hoje, no dia que escrevo este artigo, abri o jogo. Foi demais. Não teve perdão e não haverá volta. Acabou.

Fui cínico, falso, mentiroso… segundo ela. Poderão concordar alguns de vocês. Alguém teria peito pra confessar? Não me orgulho do que fiz e não consegui esconder. É preferível saber de minha boca do que ela descobrir daqui a algum tempo ou contarem para ela.

Me arrependo profundamente, aprendi minha lição. Que ela seja feliz com quem a mereça. Eu nunca prestei! Estraguei a vida de quem me amou. Confessei pois eu a amava, quis ser verdadeiro com ela.

Busco ajuda para mudar… e quero mudar de verdade. Não quero mais magoar ninguém!

Curta e compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS