Até hoje não pode-se dizer o que é pior: terminar com alguém que gosta muito de você ou levar um fora de alguém que você adora. O primeiro, porque é muito ruim deixar outra pessoa triste, dizer que em tudo aquilo que acreditaram juntos um dia acabou; o segundo, bom, não é preciso explicar porque é horrível.Mas não importa a situação, o importante é ser sincero com o outro e com a gente mesmo. Ao perceber que você não ama mais seu(sua) parceiro(a), seja o(a) mais honesto(a) possível e de maneira sensível e amigável comunique isso. Mas tenha certeza que o fim é necessário; se você estiver apenas chateada(o) por uma situação, o melhor é conversar e tentar resolver ou se o motivo for desconfiar que está sendo traída(o), pergunte antes de terminar. Ninguém gosta de levar um fora por um motivo que pode não ser verdadeiro.

Não existe meio de fazer isso sem tristeza, mas ao seguir alguns passos o fim pode ser mais tranqüilo:

  1. Pense e analise os motivos: não tenha a conversa final sem respostas para as perguntas que surgirão, como: "O que fiz de errado?", "Porque não sou eu a pessoa?", "Pode me dar mais uma chance?", "Você conheceu alguém?", "Mas a gente se ama, não ama?", "Desde quando não me ama mais?"

  2. Não prolongue a conversa: pense quanto tempo acha adequado para essa conversa (uma hora é o suficiente na maioria dos casos) e avise que tem algum compromisso. Muitas vezes a emoção do momento, lágrimas do(a) parceiro(a) podem fazer você voltar atrás da idéia. Mas ao chegar em casa perceberá que não queria ter voltado atrás e vai começar a planejar a próxima conversa. Não vale a pena para nenhum dos dois, prolongar esse sofrimento.

  3. Escolha um local adequado: não deixe seu(sua) parceiro(a) vulnerável e envergonhado(a). Mostre que pensou nele(a) nesse momento com respeito. Quanto menos público e com gente o local, melhor.
  4. Escolha o momento: se você estiver certa(o) de sua decisão no dia do Natal, ou do aniversário dele(a) espere um pouco mais. Não utilize datas especiais que possam marcar o dia com uma memória triste. Além disso, se seu(sua) parceiro(a) teve um mal dia, reconsidere esperar mais um ou dois dias para ter a conversa com ele(a), caso contrário ele(a) poderá se sentir péssimo(a).
  5. Cara a cara: a não ser que o relacionamento seja extremamente novo e que não tenha família e amigos envolvidos, sempre termine olhando nos olhos. Nada mais impessoal e frio que utilizar telefone e email. Não fuja dessa situação. Encare as lágrimas, as perguntas e as dúvidas.
  6. Honestidade com sensibilidade: não deixe que a outra pessoa fique dias imaginando os motivos. Nada de “você merece alguém mais especial” ou “eu não te mereço” ou “não vou te fazer feliz”. Esses são razões para seu(sua) parceiro(a) identificar, e no caso, terminar com você. Digas os reais motivos de uma maneira doce. Se não quer mais porque não se sente mais atraído(a) ou conheceu outra pessoa, diga que precisa pensar, que não sabe se é isso que quer para você.
  7. Demonstre carinho: mesmo que para você seja um alívio terminar o relacionamento, seja legal e carinhoso(a) nesse momento. Muitas vezes o outro não está esperando isso e vai levar um tempo para assimilar. Nada de risadas e cara de felicidade.
  8. Não reaja: rejeição é um sentimento difícil de assumir e suportar e por isso seu(sua) parceiro(a) pode ter reações exageradas, como berrar, chorar demais, brigar com você e até te xingar. Mas não reaja, não revide. Deixe a pessoa expressar o que está sentindo da maneira que lhe convier, apenas deixe claro que nada vai mudar sua decisão e que ela pode encarar de uma maneira adulta ou fazer um papel ridículo. Caso escute frases do tipo ”você nunca vai encontrar alguém como eu” ou “vou fazer você se arrepender disso”, apenas escute. Tudo o que ela(e) quer é se sentir melhor.
  9. Promessas: seu(sua) parceiro(a) pode prometer mudanças de comportamento e de maneiras de agir para preservar o relacionamento. Mas se esses assuntos foram discutidos durante o relacionamento e não houve mudanças, vai ser muito difícil que as mudanças surjam agora.
  10. Violência: depois de um tempo de relacionamento temos condições de saber que tipo de reação esperar do(a) parceiro(a). Se ele for do tipo depressivo(a) ou violento(a) tome cuidado. Algumas pessoas ameaçam se matar ou até mesmo te matar ou te agredir fisicamente. Se este for o seu caso, termine em local público e preste atenção ao seu redor durante um tempo.

Lembre-se:

  • Quando o seu relacionamento é um casamento: o término é muito mais complicado, e se envolver filhos mais difícil ainda. Além de seguir todas as dicas acima, aconselho que você procure um consultor de casais para saber como prosseguir da maneira mais integra e adequada, não prejudicando o resultado de um divórcio. Simplesmente sair de casa de um dia para o outro, te trará a culpa de abandono de lar. E as conseqüências serão piores e mais dolorosas.

  • Usar o fim como uma ameaça: se você tem problemas com seu(sua) parceiro(a) não utilize o término do namoro como uma forma de conseguir mudanças. Trabalhe as diferenças e os pontos difíceis ou termine de vez. Ameaças só irão prejudicar o relacionamento.

Curta e compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS